vineri, februarie 17, 2006

Em Portugal, "Governo avança com reforma do sector vinícola"

Nos termos de um artigo do jornalista Miguel Pacheco, publicado no Diário Económico, "A reforma do sector do vinho, primeira etapa na reestruturação do Ministério da Agricultura, vai passar pela redução das comissões vitivinícolas mas mantém, para já, o Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) na estrutura orgânica do Ministério.
A extinção do último chegou a ser equacionada, mas Jaime Silva confirmou ao DE que o 'IVV não será extinto mas vamos reduzi-lo substancialmente.' Sem desvendar se os cortes previstos envolvem a redução ou a reafectação de funcionários, o ministro da Agricultura admite apenas 'um corte nos custos orçamentais', redução já antecipada em parte pelo último OE, que prevê um corte de 3% nas verbas destinadas ao Instituto da Vinha e do Vinho. Acresce-se a isto que a criação, nos últimos meses, da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) retirou parte das competências destinadas ao IVV, que em 2006 tem apenas destinados 12,8 milhões de euros.
Outra das questões em cima da mesa é o número de comissões vitivinícolas regionais. 'Vou fazer hoje à noite um desafio aos representantes do sector na reunião onde apresentarei a reforma do vinho' apontou Jaime Silva. O 'desafio' passa por menos comissões regionais - actualmente existem 16 em todo o país - e uma coordenação mais eficaz das tarefas. Entre estas está, por exemplo, o controlo das castas utilizadas, métodos de vinificação e características dos diferentes vinhos." (As hiperligações foram acrescentadas)
Este artigo está acessível na íntegra.

Niciun comentariu: