luni, februarie 13, 2006

"Ajudar a tapar o buraco do ozono torna-se negócio" em Portugal

Nos termos de um artigo da jornalista Lurdes Ferreira, na edição de hoje do Público, "A CarbonoZero, a primeira empresa portuguesa a operar no comércio de compensação voluntária de emissões de carbono, está à beira de duplicar a área de floresta portuguesa que tem sob contrato. Ao fim dos dois primeiros meses de actividade, tem negociações em curso com uma empresa, cuja identidade se escusa a identificar, para um nível de compensações de emissões que equivale ao dobro da área de florestação garantida até agora.
A CarbonoZero foi lançada no final de Novembro pela E. Value, consultora de serviços de Engenharia e Economia do Ambiente, permitindo aos cidadãos e empresas compensar as suas emissões de gases com efeito de estufa (GEE), nomeadamente dióxido de carbono, através de um sistema que apoia a reflorestação do país. O sistema é inovador em Portugal, embora já funcione em diversos países europeus e também nos EUA, seguindo um 'guião' de negócio semelhante." (As hiperligações foram acrescentadas)
Devido ao seu interesse didático, este texto foi transcrito para o De lege agraria nova extensa.

Niciun comentariu: